Buscar
  • amandapelegrina

Aumenta número de idosos no ensino superior

Tendência indica que esta fatia da população será convocada pelo mercado de trabalho


A população idosa do Brasil já era a quinta maior do mundo em 2016, segundo o Ministério da Saúde. A previsão para 2030 é de que o número de idosos no País ultrapasse o total de crianças en­tre zero e 14 anos. Uma das con­sequências dessa inversão na pi­râmide social é a presença cada vez maior de pessoas com mais idade no mercado de trabalho e nas instituições de ensino.

De acordo com o Censo-2016 do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), das mais de oito milhões de pes­soas matriculadas em cursos de graduação, presenciais e a distân­cia, cerca de 24 mil têm idade su­perior ou igual a 60 anos.





“Essa fatia da população será convocada para o mercado de trabalho, já que não haverá re­posição suficiente de mão de obra mais jovem. Ou seja, as instituições de ensino verão a presença cada vez maior de pessoas com mais idade procu­rando qualificação para corres­ponder às demandas do mer­cado”, comenta Benhur Gaio, reitor do Centro Universitário Internacional Uninter.


Layla Salmen Vale, de 86 anos é uma delas. Ela cursa Letras (Li­cenciatura) na modalidade a dis­tância (EAD). A história de Layla é como a de muitos idosos brasi­leiros. Casou-se aos 22 anos, teve 10 filhos e não conseguiu termi­nar os estudos quando era jo­vem. Com 34 anos, iniciou o gi­násio, e, aos 38 anos, começou a trabalhar com Magistério. Mas sempre teve o sonho de fazer um curso de ensino superior. “Fiquei muito feliz com a possibilidade de voltar a estudar. Agora, com tecnologia da internet, pode­rei aprimorar os meus conheci­mentos em casa, com a ajuda da minha nora”, conta Layla.


A estudante se matriculou no centro universitário por indica­ção do filho, Emílio do Vale, que está cursando Geografia. Pouco deslocamento, flexibilidade de horário e ritmo de estudo defi­nido pelo aluno são alguns dos diferenciais do EAD e que atraí o público mais velho.


Para facilitar o acesso deles às ferramentas dis­ponibilizadas, os alunos podem contar com o su­porte de uma professora de informática para apre­sentar individualmente todos os processos para a realização dos cursos. Para as provas presenciais, por exemplo, um instrutor fica à disposição caso ele tenha dificuldade para di­gitar. “Como sabemos que a tecnologia é um entrave para esse perfil de estu­dante, buscamos acom­panhar de perto para garantir o melhor aprovei­tamento”, explicou Gaio.





MERCADO DE TRABALHO


Mudança de hábitos como alimentação sau­dável, atividades física e inte­lectual regulares têm feito com que cada vez mais os brasilei­ros tenham maior longevida­de e produtividade. Segundo os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contí­nua (Pnad Contínua) do IBGE, o número de trabalhadores aci­ma dos 60 anos tem crescido em ritmo muito maior que o das de­mais faixas etárias, diante do de­sejo de manter uma renda maior e uma vida mais ativa. Só no pri­meiro trimestre deste ano o gru­po de trabalhadores acima dos 60 anos avançou 8%, frente ao mesmo período em 2017.


fonte: https://www.dm.com.br/cotidiano/2018/08/aumenta-numero-de-idosos-no-ensino-superior.html

23 visualizações0 comentário